Ouça agora

EXPRESSO 94

com JOTA MORAES

Esportes

Com um jogador a mais, Inter sofre virada do Botafogo e deixa o G-4 do Brasileirão

Em jogo cheio de polêmicas de arbitragem, Colorado foi derrotado por 3 a 2 e perdeu a invencibilidade com Mano Menezes

  • 19/06/2022 - 20:27
Com um jogador a mais, Inter sofre virada do Botafogo e deixa o G-4 do Brasileirão
Jogo pegado no Beira-Rio - Anselmo Cunha / Agencia RBS

A primeira derrota de Mano Menezes no comando do Inter teve de tudo. A começar que teve um jogador a mais desde o início da partida, quando o Botafogo teve um jogador expulso e pênalti contra. A equipe colorada chegou a abrir 2 a 0. E os visitantes, com 10, viraram, ganharam por 3 a 2, em um confronto marcado por confusões de arbitragem, reviravoltas e até briga entre os atletas. Após 13 rodadas, o Inter saiu do G-4 do Brasileirão, agora é o quinto colocado.

Mano Menezes escalou o Inter que todos esperavam. Com o retorno de todos os suspensos, mandou a campo um meio formado por

O Inter começou o jogo absolutamente dono das ações. Nos dois minutos iniciais, o Botafogo não tocou na bola. E na sequência desse domínio, ocorreu a jogada que determinou o confronto como um todo. 

Foi uma troca de passes entre Edenilson, Bustos e que chegou a Alan Patrick. O camisa 10 esperou Gatito Fernández cair e tentou fazer por cobertura. A bola bateu no corpo e resvalou no braço de Philipe Sampaio. O árbitro Sávio Pereira Sampaio não assinalou pênalti, mas foi acionado pelo VAR. Após revisar o lance, voltou atrás e não só marcou a penalidade como, por consequência, expulsou o zagueiro botafoguense (o técnico Luis Castro também levou vermelho, por reclamação). Edenilson cobrou, com categoria, deslocou o goleiro e fez 1 a 0.

Com um a mais e vantagem também no placar, o Inter manteve a alta rotação. E não demorou para chegar ao segundo gol. Aos 13 minutos, em mais uma bela jogada coletiva, Bustos tabelou com Alan Patrick na intermediária pelo lado direito. A devolução foi excelente, no espaço vazio, justamente onde entrava lateral, que encheu o pé e acertou o ângulo. Inter 2 a 0.

A partida parecia ficar tranquila. Com o time jogando bem, a torcida apoiando e o adversário ainda atônito, o Inter não teve tanto tempo para administrar a vantagem. Depois de uma cobrança de escanteio, aos 19, a defesa afastou parcialmente, a bola voltou para a área, havia um jogador do Botafogo impedido, que não se envolveu no lance. Vinícius Lopes, em condição legal, chutou, a bola desviou entre as pernas de Daniel, bateu na trave e entrou. 

O gol recolocou o Botafogo no jogo, mas o Inter manteve o contrle das ações. E as chances começaram a se acumular. De parte a parte. Primeiro foi David cruzando e Saravia cortando contra o próprio gol, assustando seu goleiro. Logo depois o Botafogo chegou. Vinícius Lopes estava impedido, mas mesmo assim chegou à frente de Daniel, que fez boa defesa. 

O terceiro gol poderia ter chegado ainda no primeiro tempo, mas o lance foi mais uma trapalhada entre arbitragem de campo e de vídeo. David recebeu pela direita, entrou na área e tentou passar. Fora do lance, quando se armava para ficar sozinho, Wanderson foi seguro por Saravia. A jogada seguiu e levou quase dois minutos para ser analisada. O árbitro foi chamado ao monitor e reviu a cena. Só que nada valeu, já que David estava impedido lá na origem. 

Apesar da não marcação, era o momento do jogo que o Inter mandava. E teve duas oportunidades. Alan Patrick cruzou da esquerda e o atacante chegou desequilibrado para concluir de cabeça, jogando por cima do travessão. Depois, o centroavante viu Gatito fazer um milagre. Wanderson cruzou da esquerda, Edenilson ajeitou, bateu, e o goleiro defendeu parcialmente. O rebote ficou para David, mas Gatito teve agilidade para salvar novamente. Foi a última participação de Wanderson, que sentiu dores na coxa e deu lugar a Alemão.

Pouco antes do intervalo, o Botafogo também chegou perto. Joel Carli ganhou no ar da defesa e cabeceou para o lado. Vinícius Lopes errou em bola, sozinho.

Mano Menezes precisou fazer mais uma troca, desta vez no intervalo. Alan Patrick também sentiu desconforto muscular, Taison entrou em sua vaga.

A segunda etapa começou em ritmo mais lento. O Inter manteve a posse da bola e tentou fazer rodar de um lado para o outro, enquanto o Botafogo, mesmo perdendo, baixou a linha de defesa para sua própria área e esperava um contragolpe.

Aos 11, o Inter chegou a abrir vantagem. Alemão foi lançado, ganhou de Joel Carli e aproveitou uma falha de Gatito para marcar. Só que a bola bateu em sua mão, e o lance foi anulado.

Três minutos mais tarde, incrivelmente, o Botafogo empatou. Em mais uma falha da defesa do Inter em jogada aérea. Escanteio da direita, bola desviada no primeiro pau e Erison, sozinho, matou Daniel.

Mano mexeu no time. Foi de vez ao ataque: saíram Moisés e David, entraram Mauricio e Pedro Henrique. Com isso, De Pena foi para a lateral esquerda.

Mas foi o Botafogo quem quase marcou. Erison ganhou da defesa e ficou na cara de Daniel. O goleiro cresceu e impediu a virada.

No minuto seguinte, outro lance polêmico. Alemão tentou se livrar da marcação em jogada na direita e foi acertado no rosto por Klaus. O árbitro nada marcou e não foi acionado pelo VAR.

Aos 33, o Botafogo não virou por centímetros. Patrick de Paula cobrou falta para a área, Erison subiu sozinho e cabeceou. Gol. O atacante, porém, estava impedido.

A resposta foi imediata. Taison deu belo passe para Bustos, que cruzou rasteiro. Pedro Henrique entrou de carrinho e Gatito fez milagre. Cadorini entrou no lugar de Bustos e viu de dentro do campo o goleiro fazer outra defesa espantosa. Pedro Henrique cruzou e Alemão se atirou para concluir. Além de desviar, o filho de Gato Fernández ainda contou com a sorte, já que a bola bateu no travessão.

Nos minutos finais, o Inter se jogou desesperadamente para a frente, mais na base da força do que na organização. Aos 49, Mercado marcou, o Beira-Rio explodiu. E dois minutos depois, o gol foi anulado por impedimento. Frustração no estádio. 

E que aumentou ainda mais aos 55. O Inter todo na frente permitiu um contra-ataque. Matheus Nascimento ganhou da defesa, Daniel fez grande defesa e Hugo pegou o rebote. Com o gol vazio, encostou para a rede. Incrível: o Botafogo virou, 3 a 2. Na comemoração, jogadores brigaram e fizeram uma confusão. Mercado foi expulso. Após o apito final, outra pancadaria.

Postado por Pualo Marques

Fonte: GZH