Ouça agora

REDE GAÚCHA SAT

Saúde

Com mais quatro óbitos, sobe para 12 total de mortos por dengue neste ano no RS

No momento, 442 cidades são consideradas infestadas pelo mosquito

  • 28/04/2022 - 05:22
Com mais quatro óbitos, sobe para 12 total de mortos por dengue neste ano no RS
Reprodução/internet

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) confirmou nesta quarta-feira (27) mais quatro mortes por dengue no Estado. Com isso, chega a 12 o total de óbitos pela doença neste ano no Rio Grande do Sul, sendo o maior número já registrado desde 2000, início da série histórica de monitoramento da enfermidade. O número de casos contraídos dentro do Estado também é o maior em um ano, com mais de 12 mil casos autóctones até o momento.

Os últimos quatro óbitos registrados foram de residentes das cidades de Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul, Cachoeira do Sul e Lajeado. As demais mortes já confirmadas ocorreram em Horizontina, Chapada, Cristal do Sul, Igrejinha, Dois Irmãos, Boa Vista do Buricá e Jaboticaba. Foram registrados 11 óbitos pela doença em 2021 e seis no ano anterior.

A dengue alerta autoridades em relação à disseminação do vetor de transmissão. No momento, 442 cidades são consideradas infestadas pelo Aedes aegypti, também recorde da série histórica.

A Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) publicou nesta quarta um comunicado de alerta máximo contra a doença no Rio Grande do Sul. O documento ressalta que 85% dos casos confirmados de dengue estão concentrados em 24 municípios, os quais representam, aproximadamente, 25% da população total do Estado. Entre essas cidades, estão Porto Alegre, Novo Hamburgo, Viamão, Cachoeira do Sul e Montenegro. 

O Cevs também alerta para a prevenção, que deve ser feita eliminando locais com água parada, onde o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, se reproduz.

Na Capital
Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, já são 1.586 casos de dengue contraídos dentro do território da Capital em 2022, demonstrando novo aumento de 28% nos casos confirmados em Porto Alegre em uma semana.

A capital gaúcha registrou 386 novas infecções pela doença na última semana, chegando a 1.650 pacientes confirmados, entre autóctones e importados. O percentual de aumento é o mesmo da semana anterior, apontando para a manutenção do crescimento da doença na cidade.  

Os casos da doença são registrados em todas as regiões da cidade, com prevalência para os bairros Vila Nova, Bom Jesus e Jardim Carvalho, seguidos por Partenon, Vila São José e Vila Jardim. A Diretoria de Vigilância em Saúde de Porto Alegre segue realizando ações de pulverização de inseticida em locais que tenham alta infestação do mosquito ou pacientes da enfermidade confirmados.

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH