Horário sem programação!

Saúde

Secretaria Estadual de Saúde divulga nota sobre falta de vacinas para a segunda dose

  • 26/04/2021 - 21:24
Secretaria Estadual de Saúde divulga nota sobre falta de vacinas para a segunda dose

Conforme a Secretaria Estadual da Saúde faltam 263,8 mil doses da CoronaVac/Butantan para a segunda aplicação no RS. A pasta divulgou nota oficial sobre a situação nesta segunda-feira (26/04).

Conforme a SES, “faltam 40.470 doses para concluir o esquema vacinal de idosos que receberam doses da remessa distribuída no dia 20 de março” e outras “223.400 doses para as segundas doses da remessa distribuída no dia 26 de março” 

Veja íntegra da nota.

No Rio Grande do Sul, faltam 40.470 doses para concluir o esquema vacinal de idosos que receberam doses da remessa distribuída no dia 20 de março. O intervalo preconizado, de 28 dias, deve ser contabilizado a partir do dia da aplicação da vacina, que ocorre de acordo com organização própria dos municípios. A data de 20 de março corresponde à distribuição das doses às 18 coordenadorias regionais de saúde. Nos dias seguintes, já nos municípios, as vacinas começam a ser aplicadas. Também haverá necessidade de 223.400 doses para as segundas doses da remessa distribuída no dia 26 de março.

Desde a segunda remessa da campanha de imunização da Covid-19, a Secretaria da Saúde (SES) e o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do RS, em pactuações realizadas de forma sistemática após o recebimento das doses, optaram por imunizar o maior número possível de pessoas, priorizando as primeiras doses e planejando a segunda dose em um intervalo de 28 dias, para uma melhor resposta imunológica. O Ministério da Saúde recomendou a aplicação das vacinas integralmente para primeira dose somente a partir da 9ª remessa.

O resultado dessa estratégia da SES foi uma maior agilidade na aplicação da vacina na população gaúcha, o que mantém o RS no topo do ranking dos Estados que mais vacinam, proporcionalmente, no país.

Em função do atraso na entrega de insumos vindos da China ao Instituto Butantan, o Ministério da Saúde não está mais recebendo os quantitativos esperados de vacinas. Ainda não há previsão, por parte do MS, de envio de nova remessa de doses ao RS.

Segundo o Programa Nacional de Imunizações, caso ocorram atrasos, o esquema vacinal deverá ser completado com a administração da segunda dose o mais rápido possível.

Fonte: Redação