Horário sem programação!

Saúde

Portal anuncia primeiro caso confirmado da varíola dos macacos no Brasil

  • 08/06/2022 - 16:35
Portal anuncia primeiro caso confirmado da varíola dos macacos no Brasil
Reprodução

O primeiro caso de varíola dos macacos no Brasil foi confirmado nesta quarta-feira (08/06). De acordo com o portal g1, o paciente, um homem de 41 anos que viajou à Espanha e mora na cidade de São Paulo, foi colocado em isolamento no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na Zona Oeste da capital paulista. 

Em nota, a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo disse que "as amostras do caso ainda estão em análise pelo Instituto Adolfo Lutz" e que o paciente "teve início dos sintomas, como febre e mialgia [dor muscular], no dia 28 de maio". 

Além deste caso, a Prefeitura de São Paulo informou que monitora o estado de saúde de uma mulher de 26 anos hospitalizada com suspeita de ter contraído a doença. Segundo o prefeito Ricardo Nunes (MDB), a paciente passa bem. Familiares e pessoas próximas à paciente também estão sendo acompanhados pela gestão municipal.

Em nota divulgada nesta quarta (08/06), o Ministério da Saúde informou que oito casos estão em investigação em todo o país. Segundo a pasta, Ceará, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e São Paulo têm um caso suspeito cada um, e há ainda dois casos em monitoramento em Rondônia e outros dois em Santa Catarina.

O que é varíola dos macacos?
A varíola dos macacos, ou ortopoxvirosis simia, é uma doença rara cujo patógeno pode ser transmitido do animal para o homem e vice-versa. Quando o vírus se propaga para o ser humano, é principalmente a partir de diversos animais selvagens, roedores ou primatas. A transmissão de um ser humano para outro é pequena, explicou a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Seus sintomas são semelhantes, em menor escala, aos observados em pacientes antigos de varíola: febre, dor de cabeça, dores musculares e dorsais durante os primeiros cinco dias. Depois, aparecem erupções - no rosto, palmas das mãos e solas dos pés -, lesões, pústulas e finalmente crostas.