Ouça agora

MANHÃ SHOW

com ALEXANDRE DE SOUZA

Cultura

Sem bailes, CTGs se reinventam para fazer eventos na pandemia

Almoços e jantares com apresentações musicais ao vivo, mas sem dança, são a opção de muitas entidades tradicionalistas no Mês Farroupilha

  • 16/09/2021 - 11:14
Sem bailes, CTGs se reinventam para fazer eventos na pandemia
Eventos com música estão permitidos, mas sem pares dançando na pista - Lucio Motta / Portal Tchê Clic Produções / Divulgação

No final de 2019, um baile no 35 CTG chegou a reunir 1,6 mil pessoas em Porto Alegre. Cerca de três meses depois, a pandemia esvaziou o galpão, que só voltaria a receber eventos presenciais em meados de julho deste ano. Histórias semelhantes se repetiram em diversas entidades tradicionalistas do Rio Grande do Sul e a retomada de atividades que está em curso agora, tão aguardada pelos amantes da tradição gaúcha, veio acompanhada de um novo formato de evento: os jantares-show ou almoços-show. 

Essa alternativa trouxe os gaúchos de volta aos CTGs em eventos que têm comida servida em bufê ou à mesa e apresentações musicais ao vivo. Só que, como uma medida para minimizar o risco de transmissão do coronavírus, o público deve assistir o show sem desocupar seu lugar à mesa, já que a dança não está permitida.  

— Logo depois que foram liberadas as atividades presenciais, com restrições, começamos a fazer jantares com música ao vivo, que se tornaram uma forma de voltarmos a sobreviver, pagar nossas contas. Um CTG é como todas as empresas, tem que pagar luz, água e funcionários, então precisamos correr atrás da máquina —  afirma Henrique Rodrigues, capataz artístico do 35 CTG.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (SES), a previsão é de que os bailes em CTGs sejam retomados em outubro, tema que está sendo avaliado pelo Gabinete de Crise do governo do RS. No momento, estão vigentes protocolos que não permitem a utilização de pistas de dança para baile, somente para apresentações. 

Até lá, o 35 CTG vai festejar o Mês Farroupilha com lotação máxima de 300 pessoas por evento, sem dança. Para o dia 22 de setembro, a aposta é o formato híbrido: o show de Os Serranos terá, além de público presencial, transmissão ao vivo pela internet

—  Estamos nos sentindo renovados e agradecidos por poder estar trabalhando novamente, vendo o CTG girar. Foi um ano complicado para todos, ficamos muito tempo parados e agora temos que nos movimentar —  diz Rodrigues.

Pista interditada
Em 2020, a pandemia de covid-19 quebrou uma tradição da Semana Farroupilha de Passo Fundo que completaria 13 anos: a de ter o fandango de Os Monarcas no CTG Tropel de Caudilhos. No próximo dia 18, o costume será retomado, só que em formato de show, sem baile. Uma das estratégias que as entidades têm adotado para inibir o público, saudoso dos floreios e dos rodopios na pista de dança, é cobrir o tablado de mesas.

— É muito estranho ter shows sem poder dançar, e é até por isso que a gente lota a pista de dança com meses, para evitar que o povo queira levantar e dançar. É difícil, ainda mais com show dos Monarcas, que são fandangueiros, música que chama muito. Mas é o que a gente pode fazer para reativar a casa —  afirma o tradicionalista Oilso Almir Zanusso, tesoureiro do Tropel de Caudilhos.

No Alegrete, o jantar-show com o Grupo Rodeio que ocorreu no dia 13 setembro, no CTG Farroupilha, foi o primeiro evento presencial da entidade desde 13 de março de 2020. De lá para cá, o Farroupilha se manteve com a venda de refeições, como galeto, polenta e feijoada, no formato pegue e leve. A retomada foi um jantar-show para 160 pessoas, em mesas de quatro lugares cada. A entidade criou um sistema de ordem pra que não houvesse aglomeração no buffet, com base nas cores das toalhas de mesa.

De acordo com Caroline Figueiredo, integrante da patronagem do CTG Farroupilha, tem sido alta a procura por ingressos para a programação de setembro, o que aumenta a preocupação em organizar corretamente um evento que é diferente dos que estavam habituados.

— O CTG sempre foi um centro de convívio, de roda de mate, aglomeração e crianças correndo. Mas agora é diferente, e faremos tudo da melhor forma possível para validar esse novo formato de evento. Há uma responsabilidade de fazer tudo dentro dos conformes para não haver risco à saúde publica e para que os presentes se sintam confortáveis, em um ambiente seguro — diz Caroline.

Em Horizontina, o CTG Carreteiros de Horizonte já retomou os ensaios de suas invernadas e agora se prepara para uma programação intensa na Semana Farroupilha. Os primeiro jantar-show da temporada será com César Oliveira e Rogério Melo, nesta quarta-feira (15), com expectativa de público de até 350 pessoas. Em vez de ingressos individuais, a entidade está vendendo mesas, para incentivar que sejam ocupadas por núcleos familiares. Também optaram por servir a comida à mesa, ao invés do bufê, para minimizar a circulação de pessoas no espaço.

— Havia uma necessidade de que o público voltasse, porque sem atividades as pessoas vão se afastando do CTG. Estou aliviado que vamos conseguir fazer os eventos, o povo está voltando, em uma semana vendemos 90% das mesas para o show — afirma Cleiton Niesciur, patrão do CTG Carreteiros de Horizonte.

Os cafés de chaleira também têm composto a programação dos Festejos Farroupilhas nos CTGs. Respeitando cuidados como distanciamento entre os presentes, uso de máscara e de luvas na hora de se servir, os gaúchos podem desfrutar da refeição típica gaúcha, que tem café, leite, bolos, pães, frios, bolachas e feijão tropeiro.

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH