Ouça agora

STUDIO 94

com JEVERSON MARTINS

Polícia

Delegado diz que inquérito de caso de duplo homicídio em São José do Inhacorá será concluído em 10 dias

Suspeitos cumprem prisão temporária durante este período

  • 23/08/2021 - 20:13
  • Atualizado 24/08/2021 - 06:47
Delegado diz que inquérito de caso de duplo homicídio em São José do Inhacorá será concluído em 10 dias
Arquivo pessoal

O Delegado João Vitorio Barbato, titular da Delegacia de Polícia Civil de Três de Maio, foi entrevistado no programa Radar 94 da Rádio Colonial FM, no início da noite desta segunda-feira (23) para falar sobre o duplo homicídio e tentativa de homicídio, em fato ocorrido na noite de sábado (21) no interior de São José do Inhacorá.

Dr. Barbato confirma, que em uma cancha de 48 localizada na comunidade de Mato Queimado, uma briga envolvendo dois irmãos naturais do interior de Alegria e moradores de Três de Maio, e três moradores de São José do Inhacorá culminou com as mortes de dois homens e outro ferido gravemente. As vítimas são de São José do Inhacorá.

Os dois irmãos suspeitos, foram presos no início da madrugada de domingo, pela Brigada Militar e apresentados a equipe volante da Polícia Civil, e segundo o delegado, antes de serem levados para o presídio, um deles que seria o autor dos disparos alegou que teriam agido em legitima defesa, e que a arma seria de uma das vítimas, uma arma numerada, mas que não consta nos registros da Polícia Civil como registrada. Os homens alegam que teriam sido agredidos pelas vítimas, e que também teriam sido vítimas de racismo.

O delegado disse que as testemunhas que foram ouvidas até o momento, não confirmam e dão outra versão para os fatos, mas outras pessoas serão ouvidas, e inclusive dentro da medida do possível por questão médica, o homem que resultou ferido deverá ser ouvido esta semana. Assim haverá uma comparação de versões para saber exatamente o que aconteceu.

A Polícia Civil através do setor de investigação sobe a coordenação do delegado Barbato, ira fechar o inquérito policial em um período máximo de 10 dias, e após as conclusões investigatórias e testemunhais irá definir se representa ou não perante o Poder Judiciário, pela prisão preventiva dos suspeitos que cumprem prisão temporária de 10 dias. Eles não possuem antecedentes criminais.

Fonte: Paulo Marques