Ouça agora

ALVORADA MUSICAL

com PAULO MARQUES

Esportes

Inter perde para o Vitória no Beira-Rio e é eliminado da Copa do Brasil

Com um a menos desde o início do segundo tempo, Colorado foi batido pelos baianos em casa e agora foca na Libertadores e no Brasileirão

  • 10/06/2021 - 23:32
Inter perde para o Vitória no Beira-Rio e é eliminado da Copa do Brasil
Jefferson Botega / Agencia RBS

O Inter provou, três dias depois, que era possível criar uma situação pior do que ter levado uma goleada histórica do Fortaleza. Após abrir 1 a 0 no jogo de ida, o time colorado ficou com um a menos no início do segundo tempo, levou 3 a 1 na partida de volta, em casa, e foi eliminado da Copa do Brasil na terceira fase, a primeira em que participou. O Vitória, que está na Série B, eliminou o clube gaúcho pela terceira vez na história da competição.
Martín Anselmi escalou jogadores e sistema tático muitas vezes sugeridos: Daniel no gol, Johnny no meio, Yuri Alberto e Galhardo na frente, em um sistema sem pontas e com dois atacantes centralizados. 

O Inter começou aceso e perdeu uma chance claríssima aos três minutos. Em falta cobrada por Edenilson, Galhardo ajeitou na medida para Yuri Alberto, que, sozinho, desperdiçou, concluindo por cima. 
Tentando um jogo mais direto, o Colorado voltou a levar perigo aos 12. Moisés começou a jogada pela esquerda, conduziu para o meio e enxergou Taison entrando pela direita. O camisa 10 dominou e bateu cruzado, mas para fora.

Lance parecido, mas com nomes e lados invertidos, ocorreu dois minutos mais tarde. Desta vez foi Saravia quem iniciou a ação pela direita e viu Patrick avançando pela esquerda. O Pantera Negra recebeu, dominou e bateu cruzado. Novamente para fora.

O domínio colorado era total. Com Johnny participativo, dando passes verticais e precisos, o Inter tinha mais imposição ofensiva. Patrick, mais solto pelo meio, construiu e bateu, mas Wallace jogou-se na frente da bola e impediu que chegasse ao goleiro.

Entre os 34 e os 35 minutos, o jogo teve duas situações de gol. A primeira foi do Vitória, com Catatau avançando pela direita e, meio que chutando, meio que cruzando, acertando a trave de Daniel. No contra-ataque, Taison arrancou pelo meio e passou a Yuri Alberto, que ajeitou e fez Lucas Arcanjo defender pela primeira vez.

O goleiro teria de se esforçar mais duas vezes para salvar o Vitória nos minutos seguintes. Taison tentou de fora da área e ele saltou para colocar para fora. Pouco depois, em cobrança de escanteio, Yuri Alberto antecipou a defesa e cabeceou. Arcanjo, atento, espalmou.

O segundo chute do Vitória saiu aos 43, com Samuel batendo e Daniel espalmando. A resposta do Inter saiu quase imediatamente. Em uma falta da intermediária, Moisés arriscou, a bola passou pela barreira e explodiu na trave. 

— Entramos em um esquema diferente, com mais liberdade para os meias, para os atacantes. Estamos criando situações, fizemos um bom primeiro tempo — resumiu Patrick no intervalo.

O começo da segunda etapa havia sido idêntico ao da etapa inicial, com o Inter pressionando e criando. Saravia, aos quatro, cruzou e Galhardo quase marcou.

Mas aos sete, Pedro Henrique, que já tinha cartão amarelo, cometeu falta forte, deixou o pé alto (assim como já havia feito no domingo passado) e levou cartão vermelho (assim como já havia levado no domingo passado). Martín Anselmi teve de sacrificar Thiago Galhardo e colocou Lucas Ribeiro para recompor a zaga.

Apesar da inferioridade numérica, foi o Inter quem criou a melhor oportunidade. Yuri Alberto fez papel de pivô e passou a Taison. Na direita, ele entregou a Saravia, que entrava na área e, cara a cara com o goleiro, acertou o peito de Lucas Arcanjo.

O Inter, que tinha o jogo sob controle mesmo com um a menos, viu sua má fase reaparecer. Aos 24, Dinei, que recém havia entrado, acertou um chute de 30 metros, Daniel desviou, a bola explodiu no travessão, quicou em cima da linha e ficou para Samuel apenas encostar para a rede: Vitória 1 a 0.

Nos três minutos seguintes, o Vitória teve duas oportunidades. Na primeira, Samuel ganhou da zaga e bateu nas mãos de Daniel. Na outra, foram duas: primeiro Guilherme ficou cara a cara com o goleiro e Daniel fez grande defesa. No rebote, Dinei chutou por cima.

Anselmi fez duas trocas para dar mais energia ao setor ofensivo. Saíram Yuri Alberto e Taison, entraram Caio Vidal e Mauricio.

Aos 32, o alívio momentâneo. Uma falta na intermediária foi erguida por Edenilson. Patrick desviou, Cuesta ganhou no segundo pau e ajeitou para o meio, Johnny saltou e empatou: 1 a 1. Um gol na marra.

Mal deu tempo para organizar, pensar e se defender. Dois minutos mais tarde, o Vitória cruzou a bola na área, Patrick afastou mal, a bola ainda sobrou para o time baiano e Eduardo, de fora da área, acertou um chute no ângulo, longe de Daniel, Vitória novamente na frente.

Para piorar definitivamente, o improvável reapareceu no Beira-Rio. Aos 39, após cruzamento da direita, Guilherme saltou mais do que Saravia e venceu Daniel. Incrível, Vitória 3 a 1.

No final, Boschilia ainda entrou no lugar de Johnny. Ele levou cartão por reclamação e foi expulso por falta. No chão física e emocionalmente, o Inter não teve forças para buscar um golzinho que levasse aos pênaltis. Não é nem metade do ano e um dos campeonatos principais já terminou.

Postado por Paulo Marques

Fonte: GZH