Outras plataformas:
26/10/2019 | 16:38:56

Juiz determina liquidação judicial da Cotrijuí



A Justiça decidiu pela liquidação judicial da Cotrijui. A definição foi emitida nesta quarta-feira (23) pelo juiz do caso, Guilherme Corrêa, da 1ª Vara Cível da Comarca de Ijuí. Ele concedeu pedido feito no ano passado pela Chinatex Grains & Oils, uma das principais credoras. Até então, a condição era de liquidação extrajudicial. As informações são da Rádio Gaúcha.


A cooperativa, que já foi a maior da América Latina, acumula passivo de mais de R$ 2 bilhões e desde 30 de janeiro do ano passado, está sob a gestão de um administrador judicial. Atualmente, tem em operação apenas oito supermercados. Outras estruturas, como unidades de recebimento de grãos e frigorífico, foram arrendadas.


Ainda cabe recurso. Com a conversão da liquidação, o comando dos procedimentos passa para o Judiciário. O próximo passo será elaborar um quadro geral de credores, estabelecendo quem são as pessoas com passivo a receber, quanto é esse valor e qual a classificação da dívida.


Advogado da Chinatex, Fernando Pellenz cita como pontos importantes contemplados pelo juiz o afastamento da responsabilidade dos produtores pelos débitos da cooperativa, a manutenção do administrador judicial e a determinação da aplicação da lei de falências para regulamentar como será o procedimento da liquidação.


— A decisão reconhece a impossibilidade de reversão do quadro. Não houve apresentação de plano concreto para recuperação — complementa Pellenz, da Souto Correa Advogados.


Os problemas financeiros da Cotrijui começaram a se acumular nos anos 2000. Em 2014, associados decidiram pela liquidação extrajudicial em assembleia marcada por polêmica. Em janeiro do ano passado, três dias após ação do Ministério Público Estadual que destituiu o liquidante, a Justiça interveio no caso — a partir de pedido feito pela Chinatex — e nomeou administrador oficial.


Ao longo do processo, foi criada a Associação de Credores, Amigos e Interessados no Soerguimento da Cotrijui (Acaisc). O grupo busca a manutenção das atividades da cooperativa e chegou a entrar com pedido de destituição do administrador.


No dia 26 de janeiro de 2018, o Ministério Público realizou a Operação Cotrijuí, para apurar supostos crimes cometidos por uma organização criminosa formada por membros da cooperativa. Eles são suspeitos de apropriação de grãos pertencentes aos cooperados, adulterações de documentos e uma série de fraudes destinadas à obtenção de proveito econômico em prejuízo da instituição.


Quatro dias depois, o presidente da cooperativa, Eugênio Frizzo, foi destituído do cargo pelo juiz Nasser Hatem, da 1ª Vara Cível de Ijuí. O magistrado determinou também o afastamento de três executivos, e que a cooperativa entrasse em processo de liquidação judicial.


 

Fonte: Redação
MAIS NOTÍCIAS
Anuncie em nosso site. Clique aqui!

AGENDA

22 de fevereiro de 2020CARNAVAL 2020
Local: Clube Buricá - Três de Maio
22 de fevereiro de 2020CARNAVAL DA ILHAS DO CHAFARIZ
Local: Balneário Ilhas do Chafariz - Dr. Maurício Cardoso
29 de fevereiro de 2020BOLETIM PREMIADO
Local: Rádio Colonial - Três de Maio
08 de março de 2020TRADICIONAL FESTA DO PADROEIRO SÃO JOSÉ
Local: Km 13 - Três de Maio
AGENDA COMPLETA


Rádio Colonial AM - 1460 Khz
Travessa Dr. Bruno Dockhorn, n°18
Centro - Três de Maio/RS
Cep: 98910-000
Fone/Fax: (55) 3535-1022

E-mails
· colonialam@gmail.com
· colonialouvinte@gmail.com (para ouvintes enviarem seus recados)
ENCONTRE-NOS NO FACEBOOK